sexta-feira, 29 de março de 2013

Volta Para Casa Parte 2 - Doc. dos gatos/Atestado de Residência


Uma outra parte importante da viagem de volta para o Brasil foi a documentação que a gente precisou tirar antes de embarcar. Nós tiramos um atestado de residência do consulado brasileiro nos Estados Unidos e, claro, os documentos necessários para o embarque dos gatinhos no avião.

A documentação de viagem dos gatos de volta para o Brasil começou com a atualização de todas as vacinas deles com antecedência. Com mais de um mês para voltar nós fomos a uma clínica veterinária lá nos EUA e atualizamos as vacinas antirrábicas dos gatos. Entretanto, para tirar a autorização da viagem nós precisaríamos voltar à clínica quando estivesse mais perto do embarque para que a veterinária pudesse assinar o International Health Certificate que eu imprimi no site da USDA e levei só para ela preencher e assinar. Além disso ela também nos deu um outro documento de inspeção atestando que os gatos estavam em condições de viajar. Claro que tivemos que pagar para que ela assinasse e emitisse esses documentos, e não foi barato (por volta de 110 dólares por gato).


Atestado Veterinário (não tem scan do International Health Certificate porque ele ficou com o veterinário do Min. da Agricultura na chegada no Brasil)


Em posse destes documentos a gente teve que dirigir até Lansing para chegar ao escritório da USDA APHIS de Michigan. A USDA é como se fosse o Ministério da Agricultura nos Estados Unidos são eles quem carimbam e endossam o International Health Certificate, que é o principal documento para se mostrar no aeroporto na hora de voltar para o Brasil com animais domésticos. Pagamos 38 dólares pela autorização de cada gato e finalmente recebemos a documentação pronta para que eles pudessem viajar.

Além de todo esse gasto com a documentação dos gatos nós também tivemos uma certa despesa com o Atestado de Residência. Nós resolvemos tirar este documento para nos ajudar na alfândega do Brasil, já que nós voltamos com MUITAS malas. O Atestado de Residência é emitido pelos consulados ou embaixadas do Brasil nos EUA e o documento serve para comprovar por quanto tempo você mora nos Estados Unidos. Se você puder comprovar que você morou mais de um ano lá, a alfândega deixa você voltar com sua mudança sem importunar com cobranças de impostos pelas coisas compradas nos EUA.


Atestado de Residência


Como eu não fiquei exatamente um ano nos Estados Unidos, só o Luiz deu entrada no Atestado de Residência. Depois que se passou exatamente um ano da chegada dele no país, ele enviou para o Consulado Brasileiro em Chicago (o mais próximo de Michigan) todos os documentos que pudessem ajudar a comprovar que ele morava nos EUA por um ano, como extrato bancário com data de mais de um ano, comprovante da data da abertura da conta, cópia do DS-2019, cópia do passaporte com visto, documento de aceitação da universidade, comprovantes da Capes... um monte de coisa. Ele teve que "notarizar" (ou como falamos no Brasil, reconhecer firma) as cópias do passaporte e do DS-2019. Além disso ele teve que enviar um money order da USPS de 15 dólares para pagar pelo atestado. Não é caro, o que realmente encareceu o processo foi o valor cobrado pela USPS para enviar o envelope expresso e o selo de retorno pré-pago para que o consulado pudesse enviar de volta o Atestado de Residência. Acho que só para a USPS pagamos uns 60 dólares.

Como a nossa passagem estava marcada para poucos dias depois de ele ter feito um ano nos EUA, quase não dava tempo do documento chegar. Felizmente conseguimos receber o atestado um dia antes de embarcar e deu tudo certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário